domingo, 7 de outubro de 2007

Ode à gastrite

Mas que faz aqui
Essa má companhia?
Quem lhe chamou
Terrível guria?

Terei esquecido as janelas abertas?
Que tamanha ousadia!
Tanta falta de decoro
Essa horrível azia!

É que me bota na cama
Maltrata a saúde
Faz-me enferma
Mata-me amiúde.

3 comentários:

Gustavo Brito disse...

- ótima ode!
andei 'pholheando' este lugar, muito, bom cristine.
passarei aqui mais vezes por estas suas poesias.
cuide-se.

Gustavo Brito disse...

- além do óbvio?
bem, depende muito. até porque gosto que as pessoas "subliminem" todas as linhas possíveis.

escrever para mim é um prazer imensurável.

Laís disse...

Oi Cristine,

Fiquei feliz com a sua visita!!Apareça sempre, agora mesmo acabei de passar um cafezinho...rs, passa la.

Sobre o seu poema, e bem marcante e intenso, digo: _Ode aos medos que nos perseguem...e nos faz abrir as janelas e nao ver o sol...


beijos