sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Se existe uma palavra para definir tudo que é
bom
belo
pleno
- escolho poesia.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Lunação

Cítrico, agridoce
Adocicado

É carmim e psicodelia d'alma

Inundação de mim
Vulcão desperto
Corrente telúrica
Luminescência e abreviação

Suspensão

Fluxo

Evasão

Obliquidade do ser

Telúrica

O sangue jorra para a terra
aroma verde-escuro, musgo
umidade
mato e chuva
orvalho e frescor da manhã
perfume de madeira molhada
água

floresço quando chove
respiro!

sábado, 23 de abril de 2016

Das descobertas do Eu

Enquanto desvia o rosto
por vergonha de seus"defeitos"
Aquele que te aprecia
te olha e pensa em como é
especial
e você perde a chance de encarar esse olhar
cheio de energia e amor
e se reconhecer no fundo dele
como realmente é.

quinta-feira, 31 de março de 2016

Percorrendo o caminho
em busca da verdadeira essência
onde nada é ilusão
onde o sol brilha para todos
e os milagres são o padrão de cada dia

Pelas matas, céus, mares e infernos
Por todas as rodas que giram em minha vida
Todas as engrenagens e seus encaixes
Em todos os momentos do abrir dos olhos
No sal das lágrimas e no canto dos sorrisos

Sou guerreira!

Fui chorando de tristeza e dor
Voltei chorando de gratidão e amor

Sigo caminhando, percorrendo esse caminho
Cada vez mais escarpado e eu mais leve

Que me leve...

Ao cume do meu ser
Ao fundo do meu mar de emoções
que saque todas ilusões e desilusões
Cure as feridas
Blinde meu corpo, mas não meu coração

***

Agradeço aos meus ancestrais
Honro minhas raízes com a mesma força com que se espalharam
Passo a espada do amor em consciência
Nessa herança de treva
E ascendo à luz do coração
Da individuação

Toco meu tambor para meus deuses, santos, anjos, caboclos e todos os guerreiros de luz
Toco para chamar a vida ao corpo
A luz à mente
O amor ao coração

Subo e desço nessa escada infinita de lições
Vou com o coração na mão
Um buraco de canhão no meio do peito,
Que jorra
Olhos como cascatas de água salgada

Volto com minha bandeira branca da paz
Minhas flores, preciosos aprendizados
Minha prece e reverência
Ao que fui, ao que sou
Ao que hei de ser.

***

Só vivo se for com CORagem
E corAÇÃO
Balanço meu maracá alegremente
Lavo as dores nas águas d'Oxum
Ajoelho na relva e descanso
no berço de Pachamama.

sábado, 19 de março de 2016

Escolhas

Em tempos tão escuros
há quem ainda acredite em luz
há quem veja os anjos passando os dedos
e a asa mansa nos cabelos de quem clama,
de quem chora e acredita
em uma fagulha de amor
de bondade
de calor no coração

Existem muitas versões da realidade
Eu fico com aquela em que meu coração suspira em paz
E as cores são vivas
E o riso corre solto em torno das crianças

Sem preocupações, só infância
Sem querer matar a presidente,
Só brincadeira de pique e bola
Só amor e paz, esse é meu mundo.

domingo, 13 de março de 2016

Não gosto de teorias
Meu negócio é o empirismo
Falar sobre o salto de fé
- aquela coragem de pular do abismo quando não há mais para onde ir -
É bonito
Mas o que faz minha cabeça é me jogar

Res non verba

Passei a vida mergulhada nos livros
Quando sempre gostei foi da experiência

Exercitei o músculo do pensamento
Enquanto o corpo atrofiava
- era sempre o medo de me jogar misturado à fascinação da queda.

Cá estou, de braços abertos,
Em queda livre.
E vivo, não mais morro.

E abraço as dores
Acolho os medos
Aceitos as imperfeições
Encaro os desafios

Se é mais fácil?
Nem nunca será!
A cada salto uma nova paisagem

É como viajar a um país distante
Com idioma que ainda hei de aprender.

É se tornar poliglota
Decifrar a linguagem interior
Comunicar com a vida dentro e fora de nós.