sexta-feira, 9 de março de 2012


O coração como um cristal
Uma caixinha que guarda
segredos, dores e amores preciosos
Músculo que bate, espanca o peito
E é frágil, o pobre...
Seguro entre os dedos
Meu coração-flor-de-lótus
Rosado
Pulsante
Tremelicando diante dessa luz.
Gratidão, Senhor!
Por cada farpa curada...

Um comentário:

Luís Gustavo Brito Dias disse...

- gratidão sempre, para que jamais existam farpas.

porque não é necessário tê-las.