quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Décadence Avec Élégance

Eu minha
Tua dele
Minha Persona
Tua máscara
Luxúria, volúpia
Eu sem mim
Sombra
Eu por mim
Pelo que emergi
Meu minha
Solitude
Indefinível, indecifrável
Vaga no mar
Aquário de sal
Bocas de peixes
Que se entrechocam
Nas lâminas de luzes
Brilhantes e azuis
E negras pérolas
Em lugar de olhos
Lodo e algas presas nos dentes
Seda preta, soturna
Ossos noturnos
Pele lua
Carne crua
Saliva cicuta
Boca de lagarta
Chapada
Pernas arroios
Lambidos pelos olhos dele
Por uma tez lúcida e louca
Por uma vida em troca da morte
Uma voz que vem em ondas
Meu corpo à tua sorte
Bálsamo lírico
Teus olhos caleidoscópicos
A me namorar
Eu boneca de cera
Fina renda
Insône
A te desejar.

Um comentário:

Amanda Cordeiro disse...

Caliente!

Vous le voux couchet avec moi? (é assim que escreve?)

ain, que saudade


vem que tá bombando, amiga!hehe

beijos