segunda-feira, 19 de dezembro de 2011


Silêncio.
Quando muito chega ao fim
Imagens em câmera lenta
Mudas
Engrenagens soturnas
Aguçadas
Emaranhadas.

Acessar
níveis de consciência além
E poder sempre retornar
A eles
Minha delícia
Minha dor...

Ainda não me decidi se viver é uma benesse
Ou puro desatino.

Um comentário:

Luís Gustavo Brito Dias disse...

- puro desatino, eu diria.



puro desatino!