sábado, 18 de outubro de 2008

Me apaixonei!
E passei horas
Admirando sua imagem...
E agora José?
Que belo infortúnio
O destino me enviou
Mais uma vez...
Já não era sem tempo
A libertação de minh'alma
E novamente meu coração é esmagado
Pela doce voz de um passarinho.

Os nervos conflitantes
Enviam mensagens de retrocesso
E é como se a comporta se abrisse
E o ontem estivesse do outro lado;
Ainda hei de descobrir o antídoto
Contra essas febres soturnas.

Um comentário:

Lou disse...

um coração alvejado pela mais soturna voz, presos por doces correntes duras, pulsando novamente o sangue coagulado pelo tempo, preso nos recôncavos. amar é bom.

amo você!

beijos ^^