sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Braços abertos
Na guia da calçada
Um pé a frente do outro
Como na corda bamba
Soltei os laços,
Deixei a vida correr
Sob a abóbada negra
Deixei que saltasse as poças
E chutasse as pedrinhas
No meio do caminho
Parei no cruzamento
E fiquei estática
Vendo-a correr
No embalo do amarelo piscante
Sob a garoa rala.

Um comentário:

Fernando Araujo disse...

humm, eu gostei, e acho que pesquisas nos textos é bobeira;

haha, amarelo piscante.