segunda-feira, 5 de novembro de 2007

A chuva lá fora
Lava meus pensamentos
Do mau de outrora
Alma cava passagens
Para novos firmamentos
Não há senso preciso
Não há fórmula secreta
Só uma gana de seguir
Seguir e seguir
Até o vale que repousa
Todo amor que desejei.

Nenhum comentário: