quarta-feira, 17 de julho de 2013

Escrever não parece mais uma boa saída...
E as palavras vão morrendo, uma após a outra,
Em fila indiana, no meio da garganta.
Tudo entalado, o verbo que tentou sair era
Parar.

2 comentários:

Luís Gustavo Brito Dias disse...

... interessante ver estes versos.
eu pensei sinceramente em fazer isso (parar), quando permaneci por algum tempo sem recorrer a escrita.
mas compreendi que este não era o melhor caminho, pois é um exercício da alma, que pode ajudar não só a mim mas a qualquer outro que vibre comigo.

Cristine Bartchewsky disse...

Oi Gustavo, bacana, penso o mesmo. Ultimamente não consigo escrever muito, pois estou em exercício profundo de autoconhecimento e passando por grandes transformações. Seria um bom período para escrever sobre, mas minha escrita é pura expressão de meu interno e esse está totalmente confuso, sem identidade no momento. Então a poesia foi mais no sentido de "chega de estresse, vamos parar e observar o movimento da vida". Talvez não seja tempo de deixar as coisas expostas. :)