quinta-feira, 12 de abril de 2012


Lembra...
De quando fomos todos
e fomos um
e fomos tolos e nenhum...?

Debaixo da
ponte
o arroio corria alegre e breve
ignorando o significado de passado
- sempre um novo rio a brotar -
entre margens que rimam
como pernas de moça
esse rio moço roça
e nunca se deixa ficar

é água cigana - vive a mudar...
E sua beleza é mundana
desagua no mar.

Lembra...
De quando fomos todos
e fomos um?

Um comentário:

Cícero Poeta disse...

Fascinante, envolvente inspirador!