sábado, 22 de outubro de 2011

Não há olhar
não existe som
nem perfume
tato...
Nada que valha a energia estranha
que ronda a madrugada.

Nenhum comentário: