sábado, 18 de setembro de 2010

O.
Meio assim-sem-jeito
Vacilante
Ao pé do vento

A.
- furacão -
Queimando emoção
Na brasa de um
Cigarro barato

Poesia infame
Esculhambada
Como frango desossado
Como música natimorta.

Emoção perdida
Em solas de sapatos sujas
De mortes
E viagens à lua de
Amantes.

Coração-alvo
Cravado de dardos
Pérfidos
De um cupido bárbaro
Amor romano.

Um comentário:

O Guardador de Estrelas disse...

Gosto da crueza da sua poesia.
Voltarei.