quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Dobradas nas esquinas
Levadas meninas
Dos romances implacáveis
Em noites taninas
E urgentes
Ao gosto do perigo
Bom amigo
Desdobra no beijo
Do pecado adocicado
Daquela boca de cerveja
Desenrola o passado
Que não sabe se mesmo teve
Despe o corset da moral
E se entrega ao

2 comentários:

Pedrão disse...

as cortesãs
as damas das camélias
paradas nas esquinas nas madrugadas
quentes e densas das grandes cidades
todas virgens
de amor

Gustavo Brito disse...

mentira: nina simone cura qualquer coisa.








qualquer coisa!