terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Já fui outra.
Já estive fora de mim.
Acho que estou me tornando clássica...
Madeleine me disse
Num blues-sangue-nas-cordas,
Numa conversa mole,
Que não há homem bom
Para nós no bar
Que a música cura
E o futuro não está
No fundo de um whisky-cowboy;
Correu os dedos por minha testa
Arrumou a franja
Como quem quer espantar
Maus pensamentos
Deu-me um beijo
E foi brilhar;
Na penumbra,
Ao som do piano
Depositei as cinzas
Do amor que queimei
Há pouco, com o canto da boca
Uns goles a mais
E já não sabia porque ria
Mas tudo parecia lindo,
Colorido e lento
Como num filme dos anos 30
E quando acordei
Aquela visão vermelha,
Monocromática nas mãos
E o coração ao lado
Crispado de dor
Que você esqueceu de guardar.

Um comentário:

cris santos disse...

Mto lindo isso, não to num bom dia para comentar (a criatividade as vezes sai para passear e não volta)
Mas adorei mesmo, e sinceramente, há dias em que é melhor não acordar...
Adorei seu blog, meia-xará rs
e prometo voltar qdo estiver mais inspirado...
estou linkando aki, algum problema?
Beijjjoosss